Melhores Comebacks/Debuts de 2015 (JAN-JUN)

Olá gente! Eu sei que eu sumi por um tempo (por causa de notebook que não quer funcionar….( – . -“) ), mas estou de volta…e com um resumo dos melhores Comebacks/Debuts de kpop até o meio do ano (até porque o ultimo comeback do big bang vai sair ainda, com GDTOP e eu estou antecipando muuuito, e porque ja tivemos muitos comebacks até junho)… estão vamos á minha lista:

tumblr_inline_nsa6agh5RP1tzsnmv_500

1. Sober- Big Bang

Tudo começou com BAE BAE, que é um vido cheio de insinuações sexuais (por isso é 19/18+), mas ao mesmo tempo, é uma musica muito viciante com um tom mais hip-hop (como no debut do grupo, a alguns anos atrás); No dia seguinte teve LOSER, que é triste, mas também um pouco viciante.

Mas o melhor Comeback (na minha opinião), é SOBER, o som é diferente, rápido, alegre, com uma letra triste onde se fala de como ele se sente quando fica sóbrio. Mas ao mesmo tempo, Sober é perfeito para quem nunca ouviu K-pop, pois ele é bem parecido com o ritmo de musicas pop dos Estados Unidos.

Daesung-cleaning-desk-soompi

2- If You- Big bang

Eu sei, acabei de mencionar o grupo… Mas a música If you é uma balada, aonde você tem, pela primeira vez, T.O.P ( o main rapper) CANTANDO! (Acho que pelo fato de ele ter vergonha de cantar em publico, isso fica mais surpreendente). A musica em si é um pouco triste, mas vale a pena checar, achei-a uma composição genial.

3- Debut do Seventeen

Seventeen foi um grupo que foi anunciado à muito tempo, mas só debutou esse ano. Particularmente, eu achei a musica “Shinning Diamonds” muito interessante e diferente, não é parecida com nada que eu já tenha ouvido antes e a coreografia também não é de se deixar de lado. (Vale a pena ressaltar que todas as musicas e coreografias foram produzidas pelos membros do grupo.). É um grupo que vale a pena checar.(Também recomendo “Adore U” que também faz parte do Debut Album deles)

tumblr_np1mzsU3L51qhmfcoo1_500

4- Shake It – Sistar

Eu vou ser sincera, eu sempre fui meio biased quando se falava de girl groups, mas com o tempo eu comecei a gostar muito mais de grupos como Sistar. E eu achei que elas não iriam conseguir uma musica mais viciante de ouvir do que ” Touch My Body”, mas quando eu ouvi Shake it, eu vi que estava errada, a música é animada e faz você dançar por aí como você estivesse no MV.

tumblr_nqbvdjwZaG1qfx62eo1_500

5- View- Shinee

Shinee é um grupo que eu tenho um carinho muito grande, eles tem um estilo muito peculiar, e quando eu ouvi View, eu demorei pra me acostumar com o estilo, pois era extremamente diferente. Mas eu estava apaixonada pelo som com cara de festa na piscina com os amigos no meio do verão, recomendo para todos os amantes de musicas que são a cara do verão, da praia e tudo mais.

large

6- Debut do N.Flying- Awesome

Eles tecnicamente são uma banda, mas entram na lista porquê são extremamente talentosos, a música é uma mistura de Rap com Rock e um pouco do k-pop… Acho que é uma mistura que não é qualquer um que consegue fazer.

n-flying-revela-prc3a9via-para-sua-canc3a7c3a3o-de-estreia-e28098awesome_

7- I need U- BTS

A última música que eu vou recomendar, é “I need U”, do grupo Bangtan Boys. É uma musica que fez com que o grupo tivesse seu 1st win. É mais triste e suave do que suas musicas de comebacks passados, com uma coreografia muito complicada, os integrantes disseram ter que treinar a coreografia por 1 mês para todos ficarem sincronizados.

tumblr_nn9mfdzQmv1sdkauvo1_500

Bom, por hoje é isso galera, me desculpem pela demora e Beijinhos de Kimchi para todoos, ~R ❤

Lançamento de “Low” do The Lockhearts! #MusicMondays

Na, na na na na na na na… E aí leitores, como vão?
Trouxe mais um #MusicMonday com o lançamento do vídeo da música “Low” do The Lockhearts (que teve resenha semana passada, clique aqui para ler).

Pelo o que entendi do vídeo (e li da explicação na descrição), o que eles querem mostrar é que até as pessoas mais influentes e mais poderosas (três dos membros da banda interpretam pastores, que pregam o sermão) sucumbem às aparências (interpretadas pelas “sereias”). Eles são atraídos pela beleza e pelo canto das sereias, que se mostram mortais ao afogá-los na água. O clipe foi inspirado no livro doze da Odisseia de Homero (sim, o grande poeta da Grécia Antiga).

Vejam aqui, o recém lançado vídeo do The Lockhearts, “Low”:

Até o próximo #MusicMonday! ~Gabs

Resenha: Me Liga

“Se pudesse voltar no tempo, a coisa mais importante que eu diria a mim mesma seria isso: nunca, jamais, se apaixone pelo Bryan.”

Sinopse: Em “Me liga” conhecemos a protagonista Devorah Banks, uma adolescente no último ano do colegial que acaba de levar um fora do namorado, Bryan, com quem estava desde o primeiro ano às vésperas do baile de formatura.
Sentindo-se traída e trocada, Devi deseja ter um jeito de entrar em contato com sua versão mais jovem no primeiro ano do ensino médio e avisa-la para nunca se apaixonar pelo garoto, nunca comprar jenas Dolly achando que eles vão ceder e jamais esquecer o aparelho móvel em um guardanapo.
O desejo de Devi é realizado pela fonte do shopping e ela consegue usar o celular para entrar em contato com sua versão caloura apelidada de Cal é assim que a aventura começa.

Cal é a típica caloura de ensino médio com sonhos que envolvem garotos, festas e lembranças inesquecíveis com as amigas. O futuro é algo que não preocupa a jovem Cal, mas deveria.

Graças a sua devoção ao namoro, Devi terminou sem amigas, sem o namorado e aprovada em uma péssima faculdade por não ter estudado o suficiente. Ela vê no celular a chance de mudar sua vida para melhor e passa a ditar tudo o que Cal deve fazer buscando um futuro que a agrade.

Cal quer poder errar, ela está cheia de sua versão tirana ligando do futuro para obriga-la a fazer diversas atividades nas quais ela não se interessa nem um pouco, mas tem medo de tomar a decisão errada e terminar como uma fracassada.
Cada conselho de Devi que Cal segue causa grandes mudanças no futuro, boas e ruins.
O que você faria se pudesse falar com seu eu mais novo e contar sobre o que ele deve ou não fazer? Devorah descobre Isso do jeito mais difícil possível: se envolvendo em grandes confusões.

“Sabe quando as pessoas dizem que a vida pode mudar em um instante? É, bem, minha vida acabou de mudar em um instante.”

Minha Opinião: Me Liga é uma história com a qual é fácil se identificar e também uma leitura bem relaxante e simples.

A história mostra a Devorah formanda que na maior parte do tempo é uma mandona que parece buscar apenas o seu próprio bem e a sua versão mais nova, ingênua e menos magoada Cal que mesmo sendo bem fútil em alguns momentos, é a personificação de uma adolescente em busca do primeiro amor. Ver esses dois lados da mesma personagem é algo diferente e encantador ao mesmo tempo, o que me levou a ler essa história.

Todo mundo erra ou errou alguma vez na vida, Devi quer corrigir seus erros evitando que ela mesma erre no passado enquanto Cal quer apenas ter o direito de errar sozinha e aprender com isso mesmo esse sendo seu maior medo.

Os dois lados da mesma personagem e as confusões em que ela se mete por mudar seu passada são o maior atrativo desse livro.

Eu me identifiquei com a história, se existisse uma forma de voltar no tempo ou enviar uma mensagem para a Natchu de 14 anos no primeiro ano do ensino médio, faria isso. Se existisse um jeito de mudar algumas pequenas coisas no passado, acho que tentaria.  Essa não é uma resenha imparcial, terminei me afeiçoando demais pelas maluquices da Devi e me envolvendo muito mais do que devia kkkk.

Recomendo esse livro para todas as pessoas em busca do primeiro amor, para todas que já se decepcionaram e para todas que gostariam de ligar para si mesmas no passado nem que fosse para avisar sobre a calça jeans que NÃO vai ceder depois de comprado.

INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO
Autora: Sarah Mlynowski
Editora: Galera Record
Ano: 2014
Páginas: 320

#MusicMonday: The Lockhearts

Vamos falar de uma banda que (na minha opinião) mostra a que veio.

A banda australiana The Lockhearts, composta por quatro caras nascidos em Sydney, uma das principais cidades da Australia (senão a principal cidade… em termos de Geografia, Gabs é 8,5. – prefiro História), e têm um som pesado.

11750685_905501749517130_2084483833494944648_n
The Lockhearts!

A banda é composta por quatro amigos e conta com um som que tem bastante de Blues e mais ainda de Rock n’ Roll. Tim Meaco (vocais e guitarra), Samuel Sheumack (guitarra solo), Jameel Majam (baixo) e Steve Woodward (bateria). Escutei algumas músicas deles e posso dizer que esses caras vão arrebentar no mundo, porque a Austrália já está dominada por eles.

O som deles me lembra uma mistura de Seether, The Black Keys, Jack White e um pouco de Led Zeppelin, e olha que apenas duas dessas referências são influências: e claro que são Jack White (que é apenas um artista épico) e Led Zeppelin (que é uma banda que eu amo escutar). Adorei o som do The Lockhearts logo de cara, das músicas que eu escutei, eu gostei de “Low” e “Freakshow”. Na próxima segunda, o videoclipe de “Low” será lançado, então “Freakshow” será a música que vou postar aqui (que também merece um clipe oficial e não apenas um lyric video).

Esses caras talvez não sejam os próximos Beatles, mas a música deles tem tudo pra ganhar o mundo. Fiquem com o vídeo e cantem junto com a letra de “Freakshow”!

A Reação de Jared Leto ao ver sua atuação como Coringa no trailer de Esquadrão Suicida!

Há cinco dias atrás, o canal do filme Batman vs Superman: Dawn Of Justice divulgou um vídeo da reação do ator e cantor Jared Leto (Clube de Compras de Dallas) ao ver sua atuação como Coringa no Teaser Trailer do filme Suicide Squad. E, nas gravações, ocorreram alguns ‘incidentes’: Jared, ao se caracterizar no set, incorporava a personalidade e todo e qualquer trejeito do vilão, ele literalmente virou o próprio Coringa. Tanto que ele deu um rato vivo para a atriz Margot Robbie (Harley Quinn) e ela adotou o rato, dizendo que “Se Harley ganhasse algo do Coringa, ela provavelmente iria cuidar com carinho” e o bichinho, batizado de Rat Rat, come e vive melhor que muita gente por aí.

Enfim, os atores que atuavam com ele e a equipe ficou com medo de chegar perto do Jared quando ele estava caracterizado. Em uma entrevista, Scott Eastwood (Gran Torino), diz que David Ayer está fazendo algo que vai surpreender a todos nós. (Espero que sim, HAHAHAHAHAHAHA)

Aqui está o trailer e, logo em seguida, a reação ao momento que o ator aparece caracterizado no trailer! O filme estará nos cinemas dia 5 de Agosto de 2016.

Até mais e que o Batman esteja com vocês! ~Gabs

 

 

Resenha: Para todos os garotos que já amei

“Não são cartas que outra pessoa escreveu para mim, não tenho nenhuma assim. São cartas que eu escrevi. Uma para cada garoto que amei – cinco ao todo.”

Quem nunca teve um amor platônico que atire a primeira pedra.  

Sinopse: Lara Jean, uma adolescente de 16 anos que descende de coreanos sabe bem como é ter paixões platônicas. Após perder a mãe, Lara Jean aprendeu a viver em harmônia com sua irmã mais velha Margot, sua irmã caçula Kitty e o pai que quase nunca está em casa. Nada disso afetou a família que conseguiu seguir adiante e se estabelecer com cada um assumindo responsabilidade por algo.

As coisas estão indo bem para Lara Jean, uma romântica incorrigível, até que uma brincadeira do destino resolve agitar sua vida.

Sempre que Lara Jean se apaixonava por um garoto, não conseguia se declarar e escrevia uma carta endereçada a sua paixão platônica como forma de “exorcizar” o sentimento para seguir em frente. As cartas que ela nunca desejou mandar com os seus sentimentos mais secretos terminam sendo enviadas misteriosamente para os cinco garotos de quem ela já gostou, inclusive o ex-namorado da Margot e seu vizinho, Josh.

Tudo fica ainda mais confuso quando Peter, um amigo de infância, resolve que Lara Jean é a pessoa perfeita para ajudá-lo a se livrar da ex-namorada grudenta e Josh começa a ter sentimentos que não deveria pela irmã da sua ex.

Cartas sendo enviadas com pensamentos tão secretos que nunca foram ditos em voz alta, garotos que parecem deseja-la de um jeito novo e a descoberta de sentimentos que deviam ter sido excluídos da vida dela assim que escreveu suas cartas, Lara Jean deve lidar com todas essas coisas e com as responsabilidades por ser a “irmã mais velha” agora.

Sentiu o drama da pobre garota que 16 anos?

“Você sabe como é gostar tanto de alguém que é insuportável saber que essa pessoa nunca vai sentir a mesma coisa por você?”

Minha Opinião:  Lara Jean é uma adolescente sem nada de extraordinário. Não é problemática, nerd ou popular como muitas outras protagonistas de romances YA, ela possui uma inocência bela que alimenta com seus devaneios românticos e ideias que tira dos livros. A única coisa que achei chata nela foi que nos primeiros capítulos Margot parecia decidir tudo o que ela devia fazer.

A história é extremamente fofa e cada descoberta, como o terrível sentimento conhecido por ciúmes, atrai o leitor e causa nostalgia em todos que já passaram pelas situações.

O clichê que está presente no enredo (falso namoro, amor impossível), é muito bem desenvolvido. Mesmo sendo um clichê possui certo diferencial ajudando a motivar a leitura e prendendo a atenção do leitor, é um clichê que não é chato de se ler.

Josh e Peter são os dois tipos de garotos que mais encontramos em livros. Peter é o popular que ninguém ousa desafiar e Josh o nerd fofo que os pais amam e que brinca com os irmãos mais novos das namoradas.

Os personagens são simples e todos demonstram suas emoções, principalmente a jovem Kitty. Existe um grande dilema entre o que é certo dizer e não nas ações da Lara Jean, perdi as contas de quantas vezes desejei entrar na história e sacudi-la gritando que ela devia pensar em si antes dos outros.

É muito interessante a forma como o leitor pode ver a evolução dos personagens dentro da história, sem dúvidas um diferencial.

Minha única frustação é com o final, esperava mais. Acho que o jeito é aguardar pela continuação no próximo ano.

Recomendo para todas as pessoas que nunca se declararam ou receberam uma carta de amor, mas continuam esperando o dia em que vão viver seu próprio romance.

INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO:

Autora: Jenny Han

Ano: 2015

Páginas: 320

Editora: Intrínseca

Para todos os garotos que já amei – Ps: Ainda amo você

Devyn Rose – Stellar: Resenha de álbum.

Oi gente! ~Gabs aqui com mais um #MusicMonday (que não teve semana passada, desculpem).

Vou falar sobre o álbum da Devyn Rose (confira a resenha sobre a descoberta dela aqui.) “Stellar” que lançou em 30 de junho.

Capa do "Stellar".
Capa do “Stellar”.

Apenas três músicas do tão aguardado (por mim e pela equipe do blog) Stellar foram postadas recentemente na conta da rapper no youtube: DevynRoseVEVO. Entre as três músicas estão “Hell Yea”, “Lamborghini” e “Stellar” que dá o título ao álbum e que, segundo o Facebook oficial da Devyn Rose, são as músicas #3, #5 e #1 respectivamente, do EP “Stellar”. As músicas #2 e #4 conhecemos como (respectivamente, mais uma vez) “Falling 4 U” e “Cops x The Jury”.

O álbum está disponível para compra no iTunes, no Google Play e no site da rapper.

Música que eu mais gostei, das três novidades: bom, todas as músicas do “Stellar” são excelentes (“Falling 4 U” que o diga!”). Não vou mentir porque é difícil eu gostar de certos tipos de músicas (quem me conhece sabe que aqui é Hardcore, mano! HAHAHAHAHAHA), mas a música que eu mais gostei foi “Lamborghini” não porque eu gosto do carro (porque eu não gosto), mas porque essa música não usa tanta modulação de voz quanto as outras, e eu consigo ouvir a voz dela mais claramente e dá pra perceber que a voz da Devyn Rose é um achado na música atual. E a batida uma delícia de ouvir (dancei como uma polenta escrevendo esse post).

Ficamos com a música “Lamborghini” e até o próximo #MusicMonday! (se quiser escutar o álbum “Stellar” todo pelo Soundcloud, clique aqui.)